}); //]]>

UM GARANHAO UMA VAGINA

     Buck Angel vem ao Brasil em novembro para questionar o conceito de gênero
 

  Ao contrario que a imagem diz,a vagina, afinal, é parte do corpo do garanhão,o americano Buck Angel,42 anos O transhomem, que ficou conhecido mundialmente como o ator pornô com vagina. Angel surpreende ao dizer que, apesar da luta pelo gênero masculino, não se submeteria a cirurgia de redesignação sexual [conhecida como mudança de sexo] afirma que ama tanto o seu órgão sexual feminino que, se tivesse o dinheiro da cirurgia, preferiria comprar uma caminhonete.

     Não faria a cirurgia caso tivesse o dinheiro, pois este pênis não seria funcional. Além disso, amo a minha vagina e ela não me faz menos homem que nenhum outro. Hoje, quero levar a minha mensagem para as demais pessoas e provar que somos pessoas comuns”, declara porn star, que nos últimos anos se tornou ativista e passou a dar palestras sobre educação sexual pelo mundo.

     No filme de Dan Hunt, que foi gravado durante seis anos, nos EUA, Alemanha e México, Buck revela detalhes de sua infância, da conturbada relação com os pais, Bill e Paty, do curioso relacionamento com a esposa, Elayne Angel, e a da entrada no universo erótico, que deu a ele em 2007 o prêmio de Melhor Performance Transexual no AVN Award. “Não sou uma aberração, afinal existem milhares de outros homens como eu pelo mundo”. Apesar da luta pela identidade de gênero, Angel sente-se menino desde a mais tenra idade e foi criado pelos pais.
    Aos 16, teve um surto. O pais o proibiram de entrar em uma importante competição, devido às notas baixas na escola e, desolado, Buck tentou cometer suicídio,foi encaminhado para a terapia. Foi lá que revelou pela primeira vez que sempre se sentiu um homem. Na época, as questões dos transexuais não eram bem documentadas e as pessoas não sabiam como lidar comigo. Achavam que eu tinha algum tipo de problema. Eu costumava sair com lésbicas, mas não sentia como uma mulher caminhoneira. Já me sentia um homem". Eu fazia cortes no meu rosto para aliviar a tensão em que vivia. Com o corte, parecia que saía ar e a diminuía a pressão em minha cabeça”, conta ele, que viu o fim do poço chegar e resolveu se reerguer. Foi então que decidiu assumir o homem que sempre existiu.
    Buck foi convidado para ter um programa totalmente dedicado sobre a sua vida,ao ser anunciado para entrar, quase caiu de costas: além de o tema do programa ser “aberrações”, ele teve que dividir o palco com outras pessoas que faziam parte do freak show.
 
 A FAMILIA
O pai do ator revela que ainda hoje é complicado aceitar todas as transformações. Bill tropeça ao falar “filho”, insistindo que ainda existe uma “filha” e chora ao dizer que este é um assunto sobre o qual eles pouco conversam. “Não comentamos, apenas vivemos”, diz ele, antes de chorar e emocionar a todos que assistem ao depoimento.


Realizada com o casamento, Elayne afirma que sempre quis um homem como o marido e que certa vez fez uma excêntrica lista com tudo o que esperava de um homem. “Coloquei que queria que ele fosse preocupado com a saúde, que fosse tatuado... E que tivesse uma vagina. Quando conheci Angel, pensei: ‘Finalmente encontrei o homem da minha vida!’”.
 Buck Angel . Essa será a sua primeira vez no Brasil?
  Sim, terei apenas uma semana aí, mas será muito importante e transformador participar de uma conferência que tende a causar muitas mudanças em seu país. E se eu tiver tempo, vou querer filmar. Encontrei, por exemplo, um homem trans cuja parceira é uma mulher trans, e eles querem fazer um filme para mim. Isso será incrível! E também queria uns garotos brasileiros para meus filmes. Seria demais!




Web Analytics